Pesquisa
.: Home
.: Contato
.: Mensagens para ler
.: Mensagens em Áudio
.: Textos de outros
.: Ouça online
.: Links interessantes
.: Aconselhamento
.: English version
.: Pesquisa
.: Recomende
Mensagens para ler
Enviar para um amigo | Versão para impressão | Voltar |  Recomendar
Sedentos de graça
Encontro com a Vida

Só mesmo quem já ficou frente a frente consigo mesmo e se enxergou, sem disfarces, retoques ou maquiagens, com todas as suas imperfeições, contradições, pecados, doenças, feiúras e ambigüidades é que valoriza a Graça.

 

Só quem já sentiu a sua completa impotência em salvar a si mesmo de si mesmo e da justa condenação que pesa sobre ele é que anseia por esta Graça.

 

Só quem já se enxergou completamente nu diante da indizível glória, perfeição, grandeza de caráter, retidão, beleza, amor incondicional, justiça, compaixão, misericórdia, generosidade, humildade e santidade de Deus, reveladas na pessoa de Jesus, é que sente fome desta Graça.

 

Só quem já mergulhou no abismo de sua própria alma e sentiu dores e angústias que não podem ser traduzidas em palavras é que clama por esta Graça.

 

Só quem já se cansou de suas promessas não cumpridas, determinações não realizadas, intenções que nada realizaram e esforços fracassados é que deseja esta Graça.

 

Só quem já se decepcionou com as religiões em suas inúmeras manifestações, se cansou de ser estatística do ibope da espiritualidade, cansou de atuar e desempenhar um papel que não é a verdade do seu coração e se desencantou com as inúmeras doenças e tortuosidades humanas disfarçadas de piedade e santidade é que suspira por esta Graça.

 

Só quem realmente sabe que não merece, nunca mereceu e jamais merecerá o favor e o amor de Deus em sua vida é que sente sede desta Graça.

 

Graça é favor não merecido.

 

Quem tenta merecer a Graça nunca vai experimentá-la. Quem tenta comprá-la, conquistá-la ou barganhar por ela nunca irá conhecê-la.

 

Quem tenta se justificar diante de Deus nunca vai prová-la. Quem acha que fez por onde recebê-la, nunca irá desfrutá-la.

 

Graça é presente. É de graça. E depende única e completamente de quem a oferece. Não depende de quem quer e nem de quem corre, mas de Deus usar de misericórdia.

 

E ainda que ela nada custe para aquele que a recebe, porque ela é completamente de graça; ela custou, absolutamente, tudo para quem a dá.

 

Porque a Graça fez o Deus Criador do Universo descer de Seu trono de glória e majestade, se humilhar e se tornar Homem de dores e Servo sofredor.

 

O Rei se fez escravo.

 

O Deus que palavras humanas não podem descrever a beleza, grandeza, sabedoria e majestade, vestiu-se de uma toalha e lavou os pés sujos dos homens.

 

O Senhor de tudo e de todos, o Juiz dos vivos e dos mortos, se sujeitou a ser cuspido, esbofeteado, zombado, espancado, coroado de espinhos e cravado em uma cruz.

 

O Deus que é Senhor de tudo e de todos, adorado e servido por milhões e milhões de anjos, se submeteu a carregar o patíbulo de uma cruz pelas ruas da cidade, diante das mesmas multidões que socorreu, ensinou e curou, em um desfile de humilhação e dor, até o lugar de sua execução.

 

A Graça custou a Deus o Seu Filho cravado em uma cruz. Ela custou a Jesus a sua vida e o seu sangue.

 

Ela custou tudo para Deus.

 

Feliz quem é sedento desta Graça, porque irá prová-la.

 

Tentar comprar esta Graça é mostrar que nunca a conheceu. Tentar merecê-la é revelar que nunca a compreendeu.

 

Ela é apenas para os pobres de espírito.

 

A Bíblia diz que Deus resiste aos soberbos, mas aos humildes concede a Sua Graça.

 

Foi Davi quem escreveu que a Graça de Deus é melhor que a vida. Ele conhecia suas próprias fraquezas, limitações, imperfeições e tortuosidades. Ele sabia que o que ele merecia não era perdão, mas juízo.

 

Então, não é à toa que ele escreve que felizes são aqueles cujas iniqüidades são perdoadas e cujos pecados são apagados. Felizes são aqueles a quem Deus, gratuitamente, atribui justiça.

 

É aí que eu aprendo que Graça não é uma doutrina para ser estudada. Graça não é um movimento, um modismo ou uma bandeira. Graça não é um enfeite ou um acessório para ser usado em canções ou pregações.

 

Graça é uma Pessoa. Graça é Jesus.

 

Graça é Deus, em Cristo, se reconciliando com os homens. É Deus não colocando sobre nós os nossos pecados, mas os colocando sobre Jesus. É O Justo morrendo pelos injustos para nos levar a Deus. É Cristo sendo feito pecado por nós, para que nós fossemos feitos justiça de Deus. É Deus sendo Justo e Justificador daquele que crê em Jesus.

 

Graça é o modo como Jesus escolheu se relacionar com você e comigo. Graça é a maneira como Jesus viveu e nos ensinou a viver. É o Amor de Deus em ação.

 

É por isto que a Graça de Deus é eterna. Ela não surgiu e nem passou a existir, porque ela sempre existiu. E ela jamais deixará de existir, porque Graça tem haver com quem Deus é. Deus é Amor e Ele jamais deixará de ser Amor.

 

Quem experimenta esta Graça não vai mais julgar os fracos, vacilantes e quebrados. Quem a prova nunca mais vai olhar os outros de cima para baixo. Quem a desfruta não vai mais tentar ser a consciência do seu semelhante. Quem a conhece não vai mais viver de atuações e desempenho diante dos homens. Quem é sedento por ela não faz mais da fé um espetáculo diante de ninguém. Quem a recebe não se gloria mais de nada. Quem a deseja segue pela vereda da humildade, da contrição e da simplicidade.

 

Apenas agradece. Apenas se assombra. Apenas se rende. Apenas confia. Apenas compartilha. Porque, em Cristo, tudo é Graça.

 

Eu posso desprezar esta Graça ou eu posso dar valor a ela. Eu posso rejeitá-la ou eu posso recebê-la. Eu posso deixá-la de lado ou eu posso me render em assombro e gratidão diante de Deus por Seu tão grande Amor.

 

Como escreveu o compositor há tantos anos atrás: “Graça maravilhosa, quão doce o som, que salvou um miserável como eu. Eu estava perdido, mas fui achado. Eu era cego, mas agora vejo”.

 

Eu não mereci, mas eu recebi.

 

Você tem sede desta Graça?

 

Pense nisto.

 

Paulo Cardoso

 

 

 

 

 

 

 

 

Enviar para um amigo | Versão para impressão | Voltar |  Recomendar